Gordon’s é o gin mais vendido do mundo. Mas como um londrino com raízes escocesas e altamente perfeccionista iniciou uma revolução mundial durante a “febre do gin”, há mais de 250 anos?

Vamos conhecer a história de Alexander Gordon e a determinação que o levou a criar o “mais gin dos gins”.

SEM ESCALAS ATÉ SOUTHWARK

No século 18, Londres estava contagiada com a “febre do gin”, e foi invadida por bebidas baratas e de fabricação industrial. Foi quando um homem se sentiu compelido a remar contra a maré e criar um gin de qualidade.

Em 1769, o londrino com ascendência escocesa Alexander Gordon decidiu montar uma destilaria em Southwark — distrito de Londres conhecido pela qualidade de suas águas.

No meio da inconsequente demanda por gin barato, Alexander logo estabeleceu sua reputação como pioneiro em seus métodos de produção, já que fazia questão de usar somente os melhores ingredientes em seu gin do tipo Old Tom. Sua bebida ganhou destaque em meio a uma concorrência desordenada e medíocre, e assim Gordon deu início a uma revolução mundial do gin.

E sem dúvida, Londres adorou o gin de Gordon — com alta concentração de zimbro e de consistência confiável — que logo ganharia também o mundo. Sua qualidade lhe rendeu quatro selos de aprovação da família real britânica, e Gordon se tornou o fornecedor não oficial da marinha inglesa. Os oficiais acabaram atuando como embaixadores e distribuidores mundiais da marca, e assim o mundo conheceu o Gin Tônica.

LICENÇA PARA DESTILAR

Os valores e o comprometimento de Alexander com qualidade e inovação foram profundamente arraigados na companhia, que continuou a produzir o gin preferido de Londres usando apenas os melhores ingredientes.

Além da receita para o gin perfeito (conhecida apenas por onze pessoas e guardada a sete chaves), a filosofia por trás da destilação da bebida sobreviveu por mais de 250 anos. Inclusive, o alambique Old Tom, construído durante o reinado de George III, é usado até hoje — embora tenha sido levado para a Escócia.

O processo de produção atual ainda segue os fundamentos deixados por Alexander Gordon, permitindo somente os melhores ingredientes na fabricação do “mais gin dos gins”. O intenso paladar de zimbro criado para Gordon’s é o resultado de uma seleção de mais de três mil botânicos analisados anualmente, dos quais 90% são rejeitados, em uma busca incessante por qualidade e consistência.

FIXAÇÃO EM INOVAÇÃO

Além de tudo isso, a busca de Gordon por métodos inovadores era impressionante. Sua destilaria expandiu os limites da categoria, em direções ainda não totalmente descobertas. A criação dos tipos Sloe Gin, em1906 e Ready to Drink (gin pronto para beber), nos anos 20, foram marcos históricos para a categoria, assim como a revolução cultural que foi o lançamento da primeira coqueteleira, em 1924.

Este comprometimento com inovação e qualidade, que já perdura há 250 anos, também foi responsável pela criação de gins saborizados, que apresentou a categoria a muitos novos apreciadores. O gin Gordon’s Premium Pink é baseado na receita original do século 19, com seus sabores delicados e frutados e um toque sutil de zimbro.

Mais recentemente, a destilaria criou o Gordon’s com flor-de-sabugueiro: um toque inovador em um clássico britânico que atende aos exigentes paladares dos jovens apreciadores de gin.

A PEDIDA IDEAL

Com seu famoso sabor intenso de zimbro e reputação de ser “o mais gin dos gins”, Gordon’s é a melhor escolha pra fazer um Gin Tônica perfeito.

Mas se você prefere um drink batido, e não mexido, também pode convidar a Moneypenny para tomar um clássico martini feito com Gordon’s.

PONTOS-CHAVE


Baixe os cartões de receitas especiais de Gordon’s, para facilitar a criação de ótimos drinks em seu estabelecimento — Gordon’s Martini, Gordon’s Pink Fizz & Gordon’s Bramble.

Quer ter acesso a um conteúdo exclusivo, com novidades do segmento e ferramentas para treinamento e criação de coquetéis? Inscreva-se na Diageo Bar Academy e tenha acesso a tudo isso!