Atualizamos nossos Termos de Uso. Para mantê-lo informado sobre onde processamos seus dados. Veja mais aqui ou entre em contato conosco para mais informações.

Desde a sua estreia em 2009, o Diageo Reserve World Class Final Global tornou-se um dos eventos de bartender mais influentes do ano, onde algumas das melhores personalidades emergentes e carismáticas se reúnem para celebrar uma obsessão comum, a arte de ser bartender. No final de uma semana de competição extenuante, novos talentos da mixologia são descobertos, novas técnicas de coquetéis começam a gerar burburinho e novas tendências começam a moldar a indústria de bar para o ano seguinte.

Na preparação para as Finais Globais deste ano, que acontecerão de 4 a 9 de julho, estaremos realizando uma série de especiais curtos de World Class cobrindo a tendência do momento, Retro Chic e alguns momentos exclusivos da Final Global.

Nesta primeira edição, olhamos para o Mint Julep, uma bebida clássica que perdurou e evoluiu e agora é uma referência global no ressurgimento do coquetel artesanal.

A palavra Julep é derivada da palavra persa Gulab, ou do árabe Julab, que significa água de rosas, e por muitos anos foi usada para descrever medicamentos adoçados de todos os tipos. Só em 1803 uma receita de coquetel para um Mint Julep apareceu na imprensa, em Viagens de Quatro Anos e Meio de John Davis nos Estados Unidos da América. Ele o descreveu como "uma dose de bebida destilada com hortelã, tomada pelos virginianos de manhã".

O Mint Julep foi interpretado de muitas maneiras diferentes ao longo dos anos, mas aqui está uma receita para uma versão clássica da bebida:

Mint Julep

Copo: copo de Julep ou um copo de Collins

Guarnição : ramo fresco de hortelã

Método Corte os canudos de modo que fiquem aproximadamente 5 cm mais altos do que o copo de servir, ou insira um canudo de metal próprio para o serviço de Julep.

Adicione gelo picado até que esteja dois terços do copo preenchido. Adicione o bourbon e a calda, e a hortelã e mexa por 10 a 20 segundos. Adicione mais gelo picado e mexa novamente até que uma fina camada de gelo se forme do lado de fora do copo e, em seguida, adicione mais gelo picado para que ele se curve ligeiramente sobre a borda do copo, criando um isolamento térmico.

ENCONTRANDO A RELEVÂNCIA

A relevância óbvia do Mint Julep quando se trata de coquetéis do século 21 é o uso de hortelã fresca em alguns dos coquetéis mais populares da atualidade, mas a nuance que às vezes passa despercebida é que este coquetel foi um dos primeiros a pedir um detalhe aromático na guarnição.

Como os cocktais atuais e as tendências em coquetéis são influenciados pelo Mint Julep?

O Mojito e o Southside Cocktail devem ser considerados descendentes diretos do Mint Julep, simplesmente porque ambos usam hortelã, mas também se pode dizer que o Pisco Sour tem conexões com o Julep, pois é uma das poucas bebidas que exige uma guarnição de coquetel aromática.

Aqui está um coquetel moderno que tem o Julep em sua alma. Foi criado por David Nepove quando trabalhava no bar Enrico's em San Francisco.

Carousel

Copo: taça coupé

Enfeite: borda de açúcar

Método: Misture as folhas de hortelã com o suco de limão. Adicione gelo e os ingredientes restantes do coquetel. Bata na coqueteleira e coe duplamente para a taça.

Fique por dentro das últimas notícias da Diageo Reserve World Class Global Final no Facebook, seguindo-nos em www.facebook.com/globalworldclassfinals..