We have updated our Privacy and Cookie Notice to keep you informed where we may process your personal data. See more here or contact us for more information.

« voltar para Inspirações

Coquetéis clássicos ao redor do mundo

Viaje conosco e conheça alguns coquetéis clássicos de bartenders do mundo todo, e aprenda a fazê-los com um toque diferente.

BRASIL: Caipirinha

O Brasil é conhecido pelo futebol, lindas praias, samba, e, é claro... CAIPIRINHAS. Tai Barbin conta como deu seu toque pessoal à receita clássica da caipirinha.

Quando foi criada

Como a maioria dos coquetéis clássicos , a caipirinha – nosso drink mais famoso – tem várias versões de como e onde foi criada. O mais provável, de acordo com historiadores, é que tenha sido criada por um engenheiro civil chamado João Pinto Gomes Lamego, em Paraty, no ano de 1856. Teria nascido como uma tentativa de fazer as pessoas pararem de beber água, na época contaminada com cólera. Em sua receita, ele recomendava às pessoas que bebessem uma mistura de cachaça, água, limão e açúcar.

Minha versão para a Caipirinha

Uma tradicional caipirinha é feita com limão fresco, açúcar, gelo e cachaça, que é “um tipo de rum”, muito similar ao Rhum Agricole. A cachaça se tornou uma categoria própria de destilado, e deve obrigatoriamente ser feita a partir do caldo de cana fresco e produzida no Brasil.

Abaixo eu mostro uma receita com meu toque pessoal, mas você pode experimentar suas próprias variações de caipirinha, alterando os adoçantes, substituindo o açúcar branco por açúcar mascavo ou mel, por exemplo. Você também pode usar outras frutas ao invés do limão.

Caipirinha de maracujá com mel

PREPARO

Singapura: Singapore Sling

Além da cozinha deliciosa e da beleza de sua cultura, Singapura também é famosa pelo drink Singapore Sling. Din Hassan, bartender do CÉ LÁ VI nos conta qual é seu toque pessoal a esse clássico.

Quando foi criado

O Singapore Sling foi criado por Ngiam Tong Boon, entre 1913 e 1915, período em que ele trabalhava no Long Bar, que na época ficava no hotel mais icônico do país, o Raflles. O hotel ainda tem a reputação de fazer um dos melhores Slings do mundo, mas admitem que os ingredientes mudaram um pouco ao longo dos anos. Muitos defendem ainda hoje que o único ingrediente adicionado à receita original foi o licor de cereja.

Minha versão para o Singapore Sling

A receita tradicional do Singapore Sling contém gin, licor de laranja, licor de cereja, licor Bénédictine, suco de limão, suco de abacaxi, grenadina (xarope de romã) e bitter angostura.

Eu reinventei esse coquetel típico e o chamei de Retro Sling. Sendo um experimentador por natureza, eu gosto de criar conceitos de coquetéis que entregam uma experiência multissensorial, ativando os sentidos visualmente e através da textura, com uma harmonia perfeita de sabores. Nessa receita, um dos ingredientes é o Tabasco, que deixa um toque apimentado no paladar. Eu também o decoro com um biscoito coberto de chocolate, pois evoca a memória do lanche preferido dos cingaleses.

The Retro Sling

PREPARO

Coloque todos os ingredientes na coqueteleira – exceto a água com gás.

Bata vigorosamente e depois complete a coqueteleira com água com gás.

Coe para uma taça coupe.

Decore com um wafer de chocolate e um ramo de hortelã.

NEW YORK: The Manhattan

Nova Iorque é conhecida como a cidade que nunca dorme, e sua coquetelaria não é exceção. Jesse Vida, do bar BlackTail, conta a história por trás desse famoso coquetel Manhattan e nos mostra sua própria versão para esse clássico.

Quando foi criado

A história do Manhattan remonta ao final do século XIX, no noroeste dos Estados Unidos. No entanto, as fontes divergem, e muitas delas dizem que o drink foi criado em Maryland, sendo depois popularizado em Nova Iorque com o nome de Manhattan. Uma das histórias conta que em 1876 um bartender do Palo Alto Hotel, em Maryland, para acalmar um cliente que estava abalado após vencer um duelo, teria criado o coquetel na hora e servido a ele. As principais histórias que defendem a origem nova iorquina do drink giram em torno do Manhattan Club. E, além disso, vários nomes surgem quando se discute a sua criação.

Minha versão de Manhattan

Em sua forma mais simples, um Manhattan é um dash de bitter, uma parte de vermute doce e duas partes de whiskey rye, tudo mexido com gelo e servido em uma taça de coquetel.

A criação do Manhattan é atribuída a muitas pessoas, mas quem de fato o criou? Para ser honesto, eu não tenho certeza, mas este é o jeito que eu mais gosto de fazê-lo, dando um leve toque meu ao famoso clássico.

Preacher man

PREPARO

Entre na conversa no Twitter @diageobarac, compartilhe suas fotos no Instagram @diageobarac ou fale conosco em nossa página no Facebook. Queremos ouvir você.


Quer ter acesso exclusivo a conteúdos sobre o mercado, ferramentas de bar e calculadores de rentabilidade? Inscreva-se na Diageo Bar Academy e tenha acesso ilimitado a tudo isso.