We have updated our Privacy and Cookie Notice to keep you informed where we may process your personal data. See more here or contact us for more information.

« back to Conversas e tendências de bar

JORNADA PELAS REGIÕES PRODUTORAS DE WHISKY DA ESCÓCIA - PARTE 2

Na segunda de nossa série, continuamos nossa jornada pelas regiões produtoras de whisky na Escócia, acompanhados de nosso embaixador global da marca Johnnie Walker, Tom Jones.

Nesta etapa, nosso intrépido explorador nos guiará para os outros dois cantos da Escócia, para conhecermos outras regiões e destilarias que fazem parte da produção de Johnnie Walker. Tom nos levará até as Terras Baixas (Low Lands), contando histórias dos locais e informações sobre suas destilarias. Depois iremos para o norte, para explorar Speyside e seus maravilhosos whiskies.

TERRAS BAIXAS

Espero que você tenha limpado suas botas e colocado sua jaqueta para secar, porque chegou a hora de descobrir duas outras regiões da Escócia que são mundialmente conhecidas por seus whiskies. Vamos começar nas Terras Baixas.

Caso você se aventure a fazer uma trilha desde a Inglaterra, em busca do sotaque melodioso e dos cabelos ruivos dos habitantes da região, e também dos aromas de whisky, é claro, você pode atravessar a Muralha de Adriano (Hadrian’s Wall) — construída pelos romanos há mais de dois mil anos.

É um marco bastante visível, onde após atravessar o Norte da Inglaterra começam os vastos vales das Terras Baixas. Bem-vindo à Escócia.

Glenkinchie

No passado, havia uma enorme quantidade de destilarias nas Terras Baixas, e a produção de bons whiskies era abundante. Por conta disso, Glenkinchie é celebrada hoje como uma joia preservada na história da bebida.

Ao contrário da crença popular, Glenkinchie não ganhou esse nome porque seu fundador se chamava Glen (a pronúncia correta é glen-kim-tchí)

Glenkinchie é uma palavra que, em escocês bem coloquial, descreve o vale que pertence à família De Quincey. A destilaria fica em uma área de fazendas próxima a uma construção chamada Kinchie Burn, a imponente destilaria de tijolos vermelhos, com os maiores alambiques da Escócia e onde também funciona um lindo museu.

Características de Glenkinchie

Em Glenkinchie, seus grandes alambiques — com capacidade de produção de 20,6 mil litros de wash (bebida fermentada) e 17, 5 mil litros de bebida destilada a cada destilação — são responsáveis por uma rotina de produção dinâmica e potente, onde o contato com o cobre dos alambiques é reduzido ao mínimo. Esse processo cria um destilado mais denso, que após o envelhecimento se transforma em um whisky single malt com sabor e aroma intensos.

Esta destilaria também produz as notas leves e frescas que fazem parte do paladar apurado de Johnnie Walker Black Label e adicionam uma textura moderada ao sabor encorpado e marcante da bebida.

Essas notas frutadas ganham destaque em um highball, dando vida às suas camadas de sabor. Experimente fazer este coquetel com framboesas e bitter Peychaud, servido em uma taça com açúcar e pimenta rosa em pó nas bordas.

George Harper, mestre-destilador de Johnnie Walker, é um grande fã de Glenkinchie. “Basta descer a rua, é tão perto que parece que a destilaria é o meu jardim — cheio de sabores esperando para serem colhidos”, diz ele.

SPEYSIDE

Você poder até dizer que Speyside é uma sub-região das Terras Altas. No entanto, se disser isso em Dufftown, talvez você seja escorraçado da cidade.

Esta região fértil e de beleza cinematográfica é contornada pelos rios Spey, em Badenoch, e Strathspey, que corta a região de Moray, no nordeste da Escócia. Visto em um mapa, o delta desses rios tem o formato de um quadrado que desemboca no mar. Além de suas lindas paisagens, a região é polvilhada de destilarias, o que a torna um atrativo tanto para turistas como para amantes de whisky.

Cardhu

Cardhu é a grande estrela da constelação de destilarias que é Speyside. A família Cumming, liderada pela destemida matriarca Helen, começou a produzir whisky em sua fazenda na região em 1811.

Depois de 12 anos de destilação clandestina, e após muitas considerações, a família finalmente decidiu legalizar sua operação em 1823.

Muitos dizem que Helen foi não somente a primeira destiladora mulher, mas também a primeira olheira de Speyside. Sempre que aparecia algum gauger (agente do governo escocês que investigava produções ilegais de whisky) na região, ela pendurava uma bandeira ou tapete vermelho em seu varal para avisar seus amigos e vizinhos.

A fama de Helen como destiladora ilegal e sonegadora de impostos só foi superada pela qualidade do whisky que ela produzia. Apreciado por seu sabor intenso e vibrante, seu whisky acabou sendo adquirido pela família Walker, que comprava vastas quantidades para compor seus estoques. A relação floresceu tanto que a destilaria de Cardhu foi comprada por Johnnie Walker e Helen ganhou uma cadeira no conselho diretivo da empresa.

Características de Cardhu

Hoje em dia, Cardhu é reverenciada pelo sabor delicado e frutado que traz ao Johnnie Walker Black Label.

A equipe de blending de Johnnie Walker tem um grande carinho pela destilaria de Speyside. A mestre-destiladora Emma Walker diz que, nos mais de dez anos em que visita Cardhu, a única coisa melhor que a maravilhosa paisagem no caminho para a destilaria é o esplêndido whisky single malt que a aguarda lá.

O destilado produzido em Cardhu tem um intenso sabor gramíneo, com notas intensas de laranja e chocolate geradas durante o processo de envelhecimento. Essas notas vêm do mosto (wort) claro produzido através do longo processo de fermentação e da longa destilação, que estimula a interação com o cobre do alambique e com o calor dos condensadores.

O resultado deste processo pode ser apreciado em um highball. É uma versão mais cremosa do clássico highball escocês, com bitter de baunilha, decoração de coco fresco e uma mistura aveludada de mel e flocos de coco que envolve todo o copo.

ÚLTIMA CHAMADA

Infelizmente, nossa viagem pelas regiões produtoras de whisky da Escócia chega ao fim no nordeste do país, na magnífica casa do Cardhu. Como muitos grandes whiskies, devemos reservar um momento para refletir e saborear o passado e também o que nos aguarda no futuro.

Esperamos que com esta série você tenha aprendido um pouco sobre as diferenças e as principais destilarias das regiões produtoras de whisky da Escócia. Com sorte, talvez tenhamos despertado em você o desejo de visitar (ou voltar) um dos lugares mais encantadoras do mundo e ver de perto as pessoas e processos por trás da produção de whisky.

Depois desta longa viagem por toda a extensão desta linda terra, acho que mereço um descanso. Ergo meu copo de Johnnie Walker Black Label, feito com whiskies dos quatro cantos da Escócia, e brindo a este maravilhoso país. A esta grande jornada e àqueles, do passado e do presente, responsáveis pela produção deste maravilhoso whisky — slainté!

Vídeo sobre a destilaria Cardhu: https://www.youtube.com/watch?v=Nlq5Pp62zH0

Vídeo sobre a destilaria Cardhu: https://www.youtube.com/watch?v=Nlq5Pp62zH0


Quer mais informações sobre como criar coquetéis exuberantes com scotch? Inscreva-se na Diageo Bar Academy para ter acesso ilimitado às últimas dicas e truques ensinados pelos especialistas desta indústria.