We have updated our Privacy and Cookie Notice to keep you informed where we may process your personal data. See more here or contact us for more information.

Este mês no Diageo Bar Academy temos um artigo especialmente criado por nosso Head Trainer André Bueno!

Constantemente falamos sobre consumo responsável nos bares e no mês de Outubro temos o dia mundial do Diabetes uma doença que vem crescendo e tem relação direta com o consumo de açúcares.
Daí vem o tema que nosso treinador selecionou para estudo e trouxe informações para nós neste artigo!

Diabetes, açúcares, coquetéis, bares e bartenders...

Olá pessoal que acompanha o DBA!

André Bueno aqui e desta vez dividindo um assunto que é no mínimo interessante.

Falamos muito sobre hospitalidade e como atender melhor os clientes em nossos balcões.

O consumo responsável é uma pauta que vem crescendo nos últimos anos e a qualidade do que servimos e como preparamos cada insumo é algo nunca antes tão discutido.

Nossas leis abordam uma série de regras para etiquetas em nossos produtos e o “Handmade” é realidade pelos quatro cantos do país, mas, qual a relação disso com o diabetes do título?

Analisando o serviço de alimentos, é comum encontrarmos nas embalagens de produtos industrializados informações como “contém glúten”, “produto vegano”, o popular selo “kosher” e até alguns detalhes extras e acredito que podemos levar este aprendizado e dados também para os nossos produtos artesanais.

O açúcar é sem dúvida alguma um dos ingredientes mais presentes em nosso dia a dia, encontrado em refrigerantes, xaropes, Saccharum e até mesmo no uso direto nas Caipirinhas e vejo poucas abordagens sobre tipos de açúcares ou mesmo orientações para os clientes sobre o que está no seu insumo e consequentemente no seu drink.

Que carvão vegetal, bitters de tabaco e alguns outros ingredientes são polêmicos e preocupantes já sabemos, mas, o que falar do açúcar, este doce vilão?

Este mês temos o dia mundial do diabetes, oficialmente no dia 14 de Novembro, definido pela ONU, e segundo uma breve pesquisa que fiz, no Brasil existem 12,5 milhões de pessoas com diabetes e previsão de que este número chegue em 20,3 milhões até 2045.(Fonte: endócrino.org.br/dia-mundial-do-diabetes).

Se você não entende nada sobre diabetes aprenda um pouco aqui!

Existem tipos diferentes de diabetes e de maneira geral podemos dizer que está tudo associado ao funcionamento do pâncreas.

O diabetes do tipo 1 é o diabetes onde devido ao sistema imunológico danificado, o organismo praticamente não produz insulina e a libera para o corpo. Como resultado a glicose pode parar na corrente sanguínea e não ser utilizada como fonte de energia.

No diabetes do tipo 2 o organismo não utiliza corretamente a insulina produzida e por isso o controle glicêmico é afetado.

Cerca de 10% das pessoas com diabetes se enquadra no grupo do tipo 1 e 90% das pessoas com diabetes está no grupo 2 de acordo com diagnóstico da SBD (Sociedade Brasileira do Diabetes).(Fonte: www.diabetes.org.br/publico/diabetes/tipos-de-diabetes).

Analisando os dados, entendendo os tipos de diabetes e conectando tudo isso de olho nas tendências para a coquetelaria do próximo ano, onde coquetéis carbonatados como o Highball, bebidas “low” e “no” álcool e claro propostas de coquetéis refrescantes ou em jarras parecem ser uma boa aposta somados com o momento “handmade”, temos a possibilidade de criar insumos mais saudáveis, entender sobre açúcares, adoçantes e assim trazermos insumos mais atrativos para nossos clientes se tornando mais um diferencial.

Observando as opções que temos e sabendo que existem diversos tipos de adoçantes que no geral podem ser de fontes naturais ou artificiais. Vamos entender mais sobre algumas destas variedades.

Adoçantes direcionados para diabéticos normalmente possuem em sua composição Aspartame, Sucralose, Ciclamato, Sacarina dentre outros compostos, ainda assim, recomendo uma conversa rápida com o profissional da área de nutrição do seu estabelecimento, pois, este profissional pode te receitar a melhor forma de utilizar cada tipo de adoçante em suas produções.

Ainda assim, para sair desta leitura com ideias e mais propriedade no assunto veja alguns dos adoçantes mais comuns no mercado:

(Fonte: www.ser.vitao.com.br/acucar-para-diabeticos-qual-acucar-os-diabeticos-podem-consumir).

Para concluir, o consumo responsável vai além das boas práticas relacionadas com a quantidade de álcool que um cliente pode ingerir ou mesmo alimentação e hidratação.

Orientar nossos clientes sobre o que utilizamos em nossos insumos e criar opções para que sejamos mais plurais em nossos balcões é algo que realmente precisa ser mais abordado.

Fica aqui meu obrigado para a equipe Diageo Bar Academy Brasil que vem fazendo um trabalho fantástico e mais uma vez abre o espaço para uma publicação de minha autoria aqui no DBA.COM.

Nos encontramos por aí!