Atualizamos nossos Termos de Uso. Para mantê-lo informado sobre onde processamos seus dados. Veja mais aqui ou entre em contato conosco para mais informações.

ONDE TUDO COMEÇOU

O local de nascimento e a história da vodka são motivos de muitos debates entre Polônia e Rússia.

Ambos dizem ser o seu país de origem e a celebram como bebida nacional. Talvez essa discussão seja irrelevante atualmente, já que a bebida de hoje é muito diferente da vodka que bebiam nos séculos 15 e 16.

O que podemos afirmar é que atualmente a Vodka é produzida por todo o mundo, e assim, não possui DOC (Denominação de Origem Controlada).

RÚSSIA: ESTADO E ESPÍRITO

Apesar da polêmica sobre a origem da Vodka, é impossível não citar o quanto a Rússia foi responsável por muitas inovações na fabricação da vodka moderna, como por exemplo a invenção da filtragem por carvão para remover impurezas do destilado final, atribuída ao químico Theodore Lowitz, no século 18. Ele criou o sistema em 1780, quando o czar o contratou para “higienizar” a bebida nacional.

A aristocracia russa logo se envolveu na produção de vodka, chegando a monopolizá-la às custas do trabalho da classe operária. Este foi um fator determinante na revolução bolchevique de 1917, levando os principais donos de destilarias, como Vladimir Smirnov, a abandonarem suas produções e fugirem do país. Smirnov se estabeleceu na Polônia e depois na França, para depois levar sua marca até o outro lado do Atlântico, contribuindo para a introdução da vodka ao mundo ocidental.

POLÔNIA: BATATAS CHIQUES

A palavra em polonês wódka pode ser encontrada em registros de até 1405, daí a eterna briga que os Poloneses defendem contra os Russos sobre terem sido eles os criadores desta bebida e segundo dados históricos, no século 16, era comum que famílias produzissem sua própria vodka em suas casas, usando frutas e ervas para amenizar o forte gosto de álcool.

Essa tradição de usar ingredientes naturais para dar sabor ainda é uma característica das vodkas polonesas até hoje! A Polônia é famosa por produzir vodka utilizando batatas, esse costume vem desde o começo do século 19, e a história conta que tudo começou quando um imperador austríaco deu de presente ao rei polonês o exótico legume das Américas.

Décadas mais tarde, com a invenção de novas tecnologias de produção, a vodka foi ficando mais refinada, mas, o processo de redestilação atual é ainda bastante similar ao implementado em 1871.

Atualmente há mais de mil marcas de vodkas polonesas, entretanto, mesmo na Polônia uma das Vodkas mais consumidas é a vodka importada da Rússia, Smirnoff, que muitos poloneses consideram de melhor qualidade.

LEVADA AO OCIDENTE POR UMA MULA

Um pouco antes de segunda guerra mundial, tanto a Polônia quanto a Rússia já produziam vodkas de alta qualidade, mas suas Vodkas eram consumidas praticamente em seus próprios países.

A Vodka ainda não era uma bebida apreciada mundialmente como whisky, rum ou conhaque. Em 1938, quando os Estados Unidos compraram os direitos de comercialização de Smirnoff, a bebida sem cor e sem cheiro não agradou muito aos bebedores norte-americanos no primeiro momento, pois estes estavam acostumados com o whisky – que havia se popularizado após a Lei Seca. Mas, graças à engenhosidade de John G. Martin, executivo da companhia de bebidas Heublein, que a vodka finalmente invadiu a América.

John foi um dos responsáveis por criar uma série de inteligentes estratégias de marketing, incluindo a renovação da marca Smirnoff e dentre estas estratégias tivemos a criação do clássico Moscow Mule – um drink que incorporava o espírito da vodka em uma mistura leve, refrescante, seco e picante.

O Moscow Mule foi o coquetel responsável por abrir as portas do ocidente para a vodka, e contribuiu para a revolução do coquetel que varreria o país logo na sequência.

COMO É FEITA?

INGREDIENTES

Tecnicamente, a vodka pode ser feita a partir de qualquer ingrediente que contenha açúcar ou amido, mas a maioria é produzida utilizando cereais, batata, ou, como no caso da Cîroc, uvas.

As frutas contêm açúcares que podem ser fermentados simplesmente adicionando leveduras, mas para outras matérias-primas como cereais ou batatas, são adicionadas enzimas para transformar o amido em açúcar, daí temos o que chamamos de mosto (Wash).

Após a preparação do mosto (Wash), são adicionadas levedura e água para se produzir álcool. Quando se usa cereais ou batata, a graduação alcoólica desse mosto fermentado varia entre 5% a 7%, podendo ser maior caso se utilize frutas.

De maneira geral, as destilarias utilizavam os ingredientes locais mais abundantes, por razões práticas, na Rússia é bem comum o uso do trigo, na Suécia usa-se bastante o centeio, na Polônia o ingrediente mais comum eram as batatas, e em outros lugares do mundo temos cereais, frutas ou até mesmo o melaço.

DESTILAÇÃO

O tipo de alambique mais usado na destilação da vodka é o de coluna, graças à sua eficiência e capacidade de produzir um líquido mais claro.

Apesar disso, algumas marcas de vodka artesanal estão cada vez mais utilizando alambiques de cobre (pot still) ou uma combinação dos dois.

Ao contrário da destilação tradicional em alambiques de cobre, os de coluna são operados através de um cuidadoso gerenciamento de centenas de destilações menores, introduzindo vapor e controlando temperaturas. Quando o mosto alcoólico é bombeado para o fundo do alambique, é então aquecido pelo vapor que sobe pela longa coluna.

O mosto evapora e se condensa em placas de metal perfuradas, conhecidas como placas de bolhas. O fundo da coluna fica com maior concentração de água, enquanto que em seu topo a concentração maior é de álcoois leves.

O ponto ideal fica próximo do topo da coluna, onde a concentração de etanol é maior (cerca de 96%). É daí que o líquido é retirado para a produção de vodka. Esse processo é contínuo, já que o mosto volta a ser bombeado para que mais etanol seja retirado. Já a destilação em alambiques de cobre é mais tradicional, mas pode ser usada em conjunto com alambiques de coluna para a produção de vodka, já que apenas o alambique de cobre não é capaz de atingir a pureza necessária.

ADAPTAÇÃO

Depois do processo de destilação, a maioria das vodkas é filtrada com carvão ativado, para remover impurezas e corrigir a coloração.
O carvão ativado também ameniza o sabor do destilado, removendo a maioria dos compostos voláteis.

Algumas vodcas são retificadas para reduzir sua graduação alcoólica (até o mínimo de 37,5%).

Após a retificação, a bebida fica com quase 40% de água – concentração bem maior do que qualquer outro destilado. Por conta disso, a qualidade e os minerais contidos na água utilizada são de extrema importância. Hoje em dia praticamente todas as destilarias neutralizam o PH da água antecipadamente.
A água utilizada em Ketel One, por exemplo, fica repousando em um tanque subterrâneo de azulejos de cerâmica, antes de ser engarrafada. Depois que esta água é adicionada, a vodka fica (ou não) em repouso por um período, e então é engarrafada.

PRODUÇÃO DA VODKA SMIRNOFF® Nº 21

TIPOS DE VODKA

Vodkas Neutras: A destilação em múltiplas colunas e a extensa filtragem por carvão ativado produzem um tipo de vodka suave e de sabor leve.
Esse tipo de Vodka é muito popular em todo o mundo, e a Smirnoff é o exemplo mais conhecido.
Outras matérias-primas – A vodka é um pouco mais sutil do que outras categorias de destilados, mas a escolha da matéria-prima altera naturalmente o sabor final da bebida.

A Rússia e muitos outros países usam o trigo como base, o que naturalmente dá ao sabor notas de pimenta, casca de limão e tons sutis de anis.

O centeio, que já foi muito utilizado na Polônia, dá ao destilado uma doçura de castanhas, remetendo aos sabores de cereais e pão. No entanto, ao se utilizar batata se obtém uma vodka de textura mais densa e cremosa, com ligeiras notas vegetais.

Vodkas Saborizadas: As vodkas podem ser saborizadas utilizando temperos, frutas e botânicos, com o uso de diversas técnicas.

Sabores naturais podem ser extraídos através de maceração, destilação e percolação. Outra forma de se obter sabores é através do processo chamado de cold compounding, técnica em que se adiciona substâncias naturais a determinados tipos de álcool.

Com cada vez mais demanda dos consumidores, a maioria das marcas oferecem várias versões com sabor de suas vodcas, como por exemplo a Cîroc que no Brasil possui diversos sabores.


PRINCIPAIS RECEITAS

CONFIRA NOSSAS MARCAS DE VODKA PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE SEUS ESTILOS E CATEGORIAS:

  • Smirnoff

    Smirnoff

    A vodka Smirnoff nº 21 é a marca de vodka premium mais vendida no mundo, e é distribuída em mais de 130 países.

    Você sabia que apenas 8 países no mundo produzem Smirnoff? Pois é, e dentre estes 8 temos o Brasil!

  • Ketel One

    Ketel One

    Ketel One é uma vodka holandesa cheia de prestígio!

    Ganhou seu nome por conta do seu alambique de carvão original, que ainda hoje é usado pela família Nolet, criando um destilado premium puro e deliciosamente complexo.

  • Cîroc

    Cîroc

    Vodka ultra premium feita a partir de uvas francesas finas e suculentas, sua quinta destilação é feita na famosa Distillerie de Chevanceaux, no sudoeste da França.

Mantenha-se conectado conosco, compartilhe suas receitas no Instagram @diageobarac_br e no Facebook Diageo Bar Academy Brasil!

Cadastre-se e se torne um membro da nossa comunidade e receba novidades e dicas de bar!