We have updated our Privacy and Cookie Notice to keep you informed where we may process your personal data. See more here or contact us for more information.

ONDE TUDO COMEÇOU

Vamos voltar no tempo, ainda na época da colonização Portuguesa e a partir daí entender um pouco mais sobre como surgiu e se desenvolveu o nosso destilado, a CACHAÇA!

A primeira plantação de cana-de-açúcar de que se registro no Brasil foi em 1504 na ilha onde hoje conhecemos pelo nome de Fernando de Noronha e há referências de que o primeiro engenho de açúcar foi construído somente em 1516, na Feitoria de Itamaracá, em Pernambuco.

No meio deste cenário no Brasil colônia, sobre muitas histórias e através de todas as movimentações em torno da cana-de-açúcar surge a Cachaça.Alguns historiadores apontam que o início de produção começou no século XVI, e que a Cachaça é possivelmente o Destilado mais antigo da América.

Indiscutivelmente Brasileira, desde o tempo dos escravos e da clandestinidade até os dias atuais o nosso destilado foi se desenvolvendo. A Cachaça esteve presente em momentos históricos, movimentos políticos, eventos culturais, e ainda hoje está diretamente associada a economia.

Foram criadas leis que protegem e regulamentam o produto, definidos padrões para produção, tempo de envelhecimento, tipos de madeiras que podem ser utilizadas e uma série de detalhes para melhorar ainda mais a qualidade do produto.

Atualmente temos a Cachaça produzida nos quatro cantos do País, cerca de 4 mil marcas registradas e uma enorme diversidade de rótulos e características, assim a Cachaça segue crescendo e ganhando o mundo se tornando cada vez mais reconhecida como a bebida dos Brasileiros!

CONHECENDO A CACHAÇA

Antes de falarmos do passo a passo sobre a produção da Cachaça, vale destacar que para ser chamado de cachaça o produtor precisa seguir alguns pré-requisitos definidos na Instrução Normativa Nº 13, de 29 de Junho de 2005.

A cachaça é o nome oficial da bebida feita a partir da destilação do suco de cana-de-açúcar, produzido exclusivamente no Brasil, devidamente registrado pelo Ministério da Agricultura do Governo Federal brasileiro na OMC (Organização Mundial do Comércio).

Vamos entender melhor estes pontos criados para padronizar o produto!

O primeiro passo é ser produzida e engarrafada no Brasil.
Partindo daí temos a determinação de que Cachaças sejam 100% produzidas a partir do suco/caldo de cana-de-açúcar fresco e que não podem ter a adição de qualquer tipo de sabor.

A graduação alcoólica é um ponto importante que merece destaque, Cachaça deve conter entre 38% e 48% de volume alcoólico, caso esteja fora deste percentual o produto será engarrafado como “aguardente de cana-de-açúcar”.

E entrando em aspectos mais técnicos temos também a definição de que o produto precisa ser fermento-destilado, ou seja, ser produzido através da destilação única do “vinho” de cana-de-açúcar e que o produtor pode também adoçar a Cachaça com 6g de açúcar (Sacarose) até 30g por litro, denominando assim o produto como “Cachaça adoçada”.

Por fim, e sem dúvida alguma um dos maiores diferenciais da Cachaça está no envelhecimento em barris de madeira.
Diferente de outros países, o Brasil permite o envelhecimento da Cachaça em diversos tipos de barris, feitos de madeiras como Jequitibá, Amburana, Carvalho, Ipê, Castanheira, Grápia, Bálsamo, Cabreúva e muitos outros que não só trazem para a Cachaça diferentes características como tornam as Cachaças mais leves, menos ardentes e com sabor mais delicado.

COMO É FEITA A CACHAÇA?

O processo de produção inicia-se com a escolha da cana de açúcar.

Conforme a região geográfica de plantio, temos canas de açúcar com propriedades e sabores bem distintos, gerando uma variedade e uma identidade ao produto final.
Na hora da colheita, também há um cuidado com a “idade” e na forma que foi feito o corte para assegurar apenas o melhor da matéria prima.

Após a colheita, a cana de açúcar segue para a moagem.
O caldo passa por algumas filtragens e parte para a etapa da fermentação.

O processo de fermentação é, sem dúvida, um dos processos mais importantes para a qualidade do produto final.
O mosto (caldo de cana destinado a esta etapa) recebe a adição de leveduras, e como consequência, a glicose se transforma em etanol e em outros compostos secundários, gerando o que alguns produtores de Cachaça chamam de “vinho de cana” ou “Vinhoto”.

Todo esse processo pode variar de acordo com o produtor, mas, no geral dura em torno de 24 horas.

Após a fermentação temos o processo de destilação.
Aqui o tipo de alambique (Cobre ou coluna) e o número de destilações, além do corte (Separação de cabeça, coração e calda) são fundamentais para chegar em uma Cachaça de qualidade.

Por fim, após a destilação temos o período de repouso/maturação e ainda a opção do envelhecimento por parte do produtor que vai selecionar o tipo de barril e madeira que ele quer empregar em seu produto, assim como o tempo que o mesmo vai ficar em descanso.

TIPOS DE CACHAÇA:

Conforme as regras para a produção de Cachaça definidas na Legislação Brasileira temos algumas possibilidades para cada produtor sobre como classificar os seus produtos.

Cachaça Branca – É a cachaça que não passa por armazenamento em madeira.

Depois da destilação ela é descansada apenas em aço inox ou é diretamente engarrafada.
Esse tipo de cachaça apresenta sabor e aroma bem característicos da cana.

Cachaça Envelhecida - Contém pelo menos 50% de cachaça que passou por, no mínimo, 1 ano “descansando” em algum tipo de barril.
Resulta-se assim um líquido com coloração e sabor característico do tipo(s) de madeira(s) que compõe(m) o barril onde o produto ficou armazenado.

Cachaça Adoçada – É a Cachaça que recebeu a adição de açúcares em quantidades permitidas na lei (6g litro).

PRINCIPAIS COQUETÉIS:

A coquetelaria com Cachaça vêm se desenvolvendo, porém, quando se fala em coquetelaria de Cachaça, indiscutivelmente temos a Caipirinha como o principal coquetel com Cachaça no mundo.

Veja aqui como preparar uma deliciosa Ypióca Caipirinha.

Caipirinha:

- ½ limão em gomos
- 2 colheres de bar de açúcar
- 50 mL de Cachaça Ypióca Empalhada Prata

Método de preparo:

Em um copo “Old Fashioned” coloque o limão e o açúcar e utilizando um macerador pressione para extrair o suco.
Adicione gelo e os 50 mL de Ypióca Empalhada Prata.
Mexa levemente e sirva!

MARCAS DA DIAGEO

Ypióca e Nega Fulô.


Mantenha-se conectado conosco, compartilhe suas receitas no Instagram @diageobarac_br e no Facebook Diageo Bar Academy Brasil!

Cadastre-se e se torne um membro da nossa comunidade e receba novidades e dicas de bar!