Atualizamos nossos Termos de Uso. Para mantê-lo informado sobre onde processamos seus dados. Veja mais aqui ou entre em contato conosco para mais informações.

ONDE TUDO COMEÇOU

Vamos voltar no tempo, ainda na época da colonização Portuguesa e a partir daí entender um pouco mais sobre como surgiu e se desenvolveu o nosso destilado, a CACHAÇA!

A primeira plantação de cana-de-açúcar de que se registro no Brasil foi em 1504 na ilha onde hoje conhecemos pelo nome de Fernando de Noronha e há referências de que o primeiro engenho de açúcar foi construído somente em 1516, na Feitoria de Itamaracá, em Pernambuco.

No meio deste cenário no Brasil colônia, sobre muitas histórias e através de todas as movimentações em torno da cana-de-açúcar surge a Cachaça.Alguns historiadores apontam que o início de produção começou no século XVI, e que a Cachaça é possivelmente o Destilado mais antigo da América.

Indiscutivelmente Brasileira, desde o tempo dos escravos e da clandestinidade até os dias atuais o nosso destilado foi se desenvolvendo. A Cachaça esteve presente em momentos históricos, movimentos políticos, eventos culturais, e ainda hoje está diretamente associada a economia.

Foram criadas leis que protegem e regulamentam o produto, definidos padrões para produção, tempo de envelhecimento, tipos de madeiras que podem ser utilizadas e uma série de detalhes para melhorar ainda mais a qualidade do produto.

Atualmente temos a Cachaça produzida nos quatro cantos do País, cerca de 4 mil marcas registradas e uma enorme diversidade de rótulos e características, assim a Cachaça segue crescendo e ganhando o mundo se tornando cada vez mais reconhecida como a bebida dos Brasileiros!

CONHECENDO A CACHAÇA

Antes de falarmos do passo a passo sobre a produção da Cachaça, vale destacar que para ser chamado de cachaça o produtor precisa seguir alguns pré-requisitos definidos na Instrução Normativa Nº 13, de 29 de Junho de 2005.

A cachaça é o nome oficial da bebida feita a partir da destilação do suco de cana-de-açúcar, produzido exclusivamente no Brasil, devidamente registrado pelo Ministério da Agricultura do Governo Federal brasileiro na OMC (Organização Mundial do Comércio).

Vamos entender melhor estes pontos criados para padronizar o produto!

O primeiro passo é ser produzida e engarrafada no Brasil.
Partindo daí temos a determinação de que Cachaças sejam 100% produzidas a partir do suco/caldo de cana-de-açúcar fresco e que não podem ter a adição de qualquer tipo de sabor.

A graduação alcoólica é um ponto importante que merece destaque, Cachaça deve conter entre 38% e 48% de volume alcoólico, caso esteja fora deste percentual o produto será engarrafado como “aguardente de cana-de-açúcar”.

E entrando em aspectos mais técnicos temos também a definição de que o produto precisa ser fermento-destilado, ou seja, ser produzido através da destilação única do “vinho” de cana-de-açúcar e que o produtor pode também adoçar a Cachaça com 6g de açúcar (Sacarose) até 30g por litro, denominando assim o produto como “Cachaça adoçada”.

Por fim, e sem dúvida alguma um dos maiores diferenciais da Cachaça está no envelhecimento em barris de madeira.
Diferente de outros países, o Brasil permite o envelhecimento da Cachaça em diversos tipos de barris, feitos de madeiras como Jequitibá, Amburana, Carvalho, Ipê, Castanheira, Grápia, Bálsamo, Cabreúva e muitos outros que não só trazem para a Cachaça diferentes características como tornam as Cachaças mais leves, menos ardentes e com sabor mais delicado.

COMO É FEITA A CACHAÇA?

O processo de produção inicia-se com a escolha da cana de açúcar.

Conforme a região geográfica de plantio, temos canas de açúcar com propriedades e sabores bem distintos, gerando uma variedade e uma identidade ao produto final.
Na hora da colheita, também há um cuidado com a “idade” e na forma que foi feito o corte para assegurar apenas o melhor da matéria prima.

Após a colheita, a cana de açúcar segue para a moagem.
O caldo passa por algumas filtragens e parte para a etapa da fermentação.

O processo de fermentação é, sem dúvida, um dos processos mais importantes para a qualidade do produto final.
O mosto (caldo de cana destinado a esta etapa) recebe a adição de leveduras, e como consequência, a glicose se transforma em etanol e em outros compostos secundários, gerando o que alguns produtores de Cachaça chamam de “vinho de cana” ou “Vinhoto”.

Todo esse processo pode variar de acordo com o produtor, mas, no geral dura em torno de 24 horas.

Após a fermentação temos o processo de destilação.
Aqui o tipo de alambique (Cobre ou coluna) e o número de destilações, além do corte (Separação de cabeça, coração e calda) são fundamentais para chegar em uma Cachaça de qualidade.

Por fim, após a destilação temos o período de repouso/maturação e ainda a opção do envelhecimento por parte do produtor que vai selecionar o tipo de barril e madeira que ele quer empregar em seu produto, assim como o tempo que o mesmo vai ficar em descanso.

TIPOS DE CACHAÇA:

Conforme as regras para a produção de Cachaça definidas na Legislação Brasileira temos algumas possibilidades para cada produtor sobre como classificar os seus produtos.

Cachaça Branca – É a cachaça que não passa por armazenamento em madeira.

Depois da destilação ela é descansada apenas em aço inox ou é diretamente engarrafada.
Esse tipo de cachaça apresenta sabor e aroma bem característicos da cana.

Cachaça Envelhecida - Contém pelo menos 50% de cachaça que passou por, no mínimo, 1 ano “descansando” em algum tipo de barril.
Resulta-se assim um líquido com coloração e sabor característico do tipo(s) de madeira(s) que compõe(m) o barril onde o produto ficou armazenado.

Cachaça Adoçada – É a Cachaça que recebeu a adição de açúcares em quantidades permitidas na lei (6g litro).

PRINCIPAIS COQUETÉIS:

A coquetelaria com Cachaça vêm se desenvolvendo, porém, quando se fala em coquetelaria de Cachaça, indiscutivelmente temos a Caipirinha como o principal coquetel com Cachaça no mundo.

Veja aqui como preparar uma deliciosa Ypióca Caipirinha.

Caipirinha:

- ½ limão em gomos
- 2 colheres de bar de açúcar
- 50 mL de Cachaça Ypióca Empalhada Prata

Método de preparo:

Em um copo “Old Fashioned” coloque o limão e o açúcar e utilizando um macerador pressione para extrair o suco.
Adicione gelo e os 50 mL de Ypióca Empalhada Prata.
Mexa levemente e sirva!

MARCAS DA DIAGEO

Ypióca e Nega Fulô.


Mantenha-se conectado conosco, compartilhe suas receitas no Instagram @diageobarac_br e no Facebook Diageo Bar Academy Brasil!

Cadastre-se e se torne um membro da nossa comunidade e receba novidades e dicas de bar!